Passa a bola


Foto: Raquel Freitas

A LDBR - Liga Desportiva Brasileira, sediada em Caieiras, vêm mudando o cenário do esporte amador. Jogadores saem do anonimato e os jogos são eventos. “Já fomos atleta. Os campeonatos não valorizam as equipes, e nem buscam algo para mudar. A LDBR faz um evento com espetáculo de dança, música e premiações às equipes”, afirma Wellington Oliveira, 28, presidente da Liga.


Para Reginaldo Teixeira, 31, também presidente da Liga, “a ideia é fazer com que o jogador se sinta um atleta. Por mais que ele seja pai de família, trabalhe de segunda a sexta e não treine, quando pisa na quadra, se sente um profissional. A LDBR o valoriza com fogos de artifícios, filmagens e entrevistas”.


Fundada em 2014, a Liga promove os campeonatos Liga Regional e Baixada Santista (anual), 7 Metros (semestral) e, a partir do segundo semestre deste ano, o Topball (semestral). “Atuamos em cidades de São Paulo e Capital, Baixada Santista e estamos ampliando para Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro, buscando novas regiões para poder inovar”, conta Welligton.


A ideia é ter em todas as regiões um representante filiado promovendo as competições. A Liga cuida da parte administrativa e auxilia o representante na organização do campeonato. O objetivo é ampliar as ações para todo o Brasil e em modalidades como o handebol, futsal, basquete e vôlei. Este ano, de três campeonatos, no segundo semestre, quinze serão realizados, todos ao mesmo tempo.


Neste domingo (10/07), o Ginásio do Bolão, em Jundiaí, recebeu as finais do Torneio 7 Metros Masculino de Handebol. Na categoria masculina e feminina, Franco da Rocha sagrou-se campeão. Na abertura do evento a Cia. de Dança Suad, coreografada por Val Silva e composto por alunas do Centro Cultural de Caieiras, abriu o torneio com apresentações de dança do ventre. “Agradeço e parabenizo a Liga pela oportunidade em participar de um evento importante para a região; evento onde se valoriza esporte e cultura. Agradeço também ao Fabrício Calandrini pelo apoio”, afirma Val.


“Esperamos ajudar com a competição incentivar o interesse e procura de novos atletas. Para o lado social, o esporte é algo que aposto. Tive esta experiência e acredito que quanto mais gente praticar esporte, mais a cidade ficará melhor”, conclui Reginaldo.



PUBLICADO EM PRIMEIRA IMPRESSÃO EDIÇÃO 300 ANO IV

Destaque
Leia também
Tamires Santana

Tamires Santana é um ser vivo, dotado de inteligência e conhecimento (até que se prove o contrário). É pai, mãe e espírito - nem um pouco santo. Estuda, trabalha, busca, anda — principalmente de trem e bicicleta. Chegou a conclusão de que quanto mais se busca, menos se sabe. Gosta de falar sobre arte, cultura, cultura popular, política, economia solidária, design, religião, índio, folclore brasileiro, samba, carnaval, literatura infantil, ciência, criança,
desenho animado, cinema, plantas, minhocas, compostagem e um montão de outras coisa. É adepta da
filosofia de vida "é pra frente que se anda".

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square